Follow @arakoiabense

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Carlos Drummond de Andrade - Tempo - 31 de Dezembro 2015

“Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial. Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão. 


Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos. Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez com outro número e outra vontade de acreditar que daqui para adiante vai ser diferente.

Para você, desejo o sonho realizado. O amor esperado. 
A esperança renovada. 


Para você, desejo todas as cores desta vida. Todas as alegrias que puder sorrir, todas as músicas que puder emocionar. 


Para você neste novo ano, desejo que os amigos sejam mais cúmplices, que sua família esteja mais unida, que sua vida seja mais bem vivida.
Gostaria de lhe desejar tantas coisas. Mas nada seria suficiente para repassar o que realmente desejo a você. Então, desejo apenas que você tenha muitos desejos. Desejos grandes e que eles possam te mover a cada minuto, rumo à sua felicidade!” 
 


quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Hoje é Natal - 24 de Dezembro 2015

Hoje é Natal, uma data que a muito tem seu personagem principal, por razões meramente capitais,  como um mero coadjuvante de sua festa. Muita gente nesta data é extremamente feliz, muitos trazem recordações boas, dos doces anos, dos verdes anos da vida. Recordações extraordinárias e o nascimento de Jesus coincide com o melhor momento da biografia de cada um, outros tem no dia de hoje o seu momento de tristeza, os hospitais estão funcionando exatamente agora, como vão funcionar amanhã, em pleno natal, muitos terminarão a vida exatamente nesta data, muitos serão acidentados, os acontecimentos tristes e até torpes, assaltarão muitos lares  exatamente no natal.  E ficará sempre aquela amargura: quando chegar o natal a pessoa vai se lembrar daquele dia triste que lamentavelmente coincidiu com uma data, eleita pelos homens, para que Jesus nasça a cada ano em nossa consciência e nossa sensibilidade. Todos nós temos muito que recordar sobre o Natal, nem vou falar das minhas recordações, porque elas foram alegres , foram tristes, comuns a cada biografia com  suas nuance, sua característica. O dia de hoje sempre será excepcional porque Jesus vai nascer ( e está sempre nascendo a cada ano), de qualquer modo ele vai nascer. Não importa se é um dia comercial, se o comercio aproveita para determinadas promoções, para aumentar as vendas, para compensar dias ruins que aconteceram por força da crise econômica, nem importa isso. O que importa é podermos refletir, examinar, pesar, contar, rezar, rezar no dia de natal, é muito importante refletir: Quem terá sido Jesus? Jesus erguendo Lázaro, erguendo aquela criança que parecia dormir para sempre, e que despertou com uma fome forte, uma necessidade imensa de se alimentar. Jesus fazendo o cego ver, mas o principal de Jesus não é nenhum milagre específico, é o milagre de sempre conquistar a coletividade das almas dos homens, conduzindo o ser humano para novos horizontes, para outras perspectivas, redefinindo os sentimentos humanos, dando uma nova dimensão ao amor. Eis que os poetas tentaram definir o amor. Camões fez um soneto belíssimo sobre  a chama que arde inevitavelmente. Quantos falaram do amor antes dele e  Depois dele! Mas o que se aprende de Jesus é um amor mais amplo,é um amor por todos, é um amor coletivo, materno e paterno ao mesmo tempo,é uma responsabilidade em sermos fraternos , a responsabilidade em termos afinal de contas, uma condição espiritual enquanto somos humanos.
 É assim Jesus, e portanto que este natal renove todo seu mistério, que todos queiram desvendar este mistério. Quem era mesmo o filho de Maria? Que história realmente ele cumpria? Qual era o roteiro reservado por Deus a este  homem? Como ele era? Que veio mesmo fazer? Fez ou não fez?Até onde iria seu estado humano? Até onde o seu lado espiritual?  Natal é acima de tudo reflexão. Natal é investigação. O momento  em que nós devemos ter profundidade para sabermos quem era Jesus. Ele está perdido dentro da história e dentro do nosso íntimo, devemos encontrá-lo. Nós vamos encontrar Jesus, nós vamos reconstituí-lo para que ele fale através de cada um de nós. Quem era Jesus?  Que Jesus era este? Que importa a condição social que ele veio?!  O que importa que o natal seja uma data comercial?  Não existem datas comerciais em nossa alma, no nosso íntimo, na nossa fé, não há datas comercias. Há datas especialíssimas, como é este Natal!!